PRESS CUTS

"Discretamente e sem darmos por eles, os La la la ressonance estão a erguer uma obra altamente singular no campo da música instrumental com raízes pop-rock. Este Faust é mais um capítulo de um percurso musical que explora o jazz, a electrónica e pós-rock, sempre tendo em vista uma espécie de conciliação entre a canção e a experimentação. As duas coisas nunca se perdem de vista. Há ruído e acordes de guitarra ("Handsme stranger"), ritmo e contemplação ("Sticks & Stones"), espaços abertos e introspecções ("What the Devil"). E, sobretudo, canções. Canções curtas, minimais feitas com poucos recursos (uma guitarra em "Soliloquy") ou uma simples melodia como aquela que se ouve no fantástico "Saved by the Belle". E este é o tema que termina o disco. Sem o encerrar."
TimeOut Lisboa, 2012/06

"O melhor dos La La La Ressonance é a inclassificabilidade da sua música. Se há banda que pode proclamar a exploração da liberdade são estes residentes, donos de um património respeitável em território independente e vagamente experimental, já reconhecidos por um circuito elitista (...)"
Disco Digital, 2012/06/28

"The problem with the digital music age is packaging, there isn't any, we all love gimmicky packaging and this CD from Faust is one of the best packaged pieces we have seen in ages. Limited to 250 copies, this special edition is in mineral packaging with the CD set between two pieces of fine cut mineral stone."
Stupid Nation, 2012/04/24

"Falamos naturalmente de rock mas de tudo o que pode desaguar dele. Falamos naturalmente de um risco riquíssimo na sua qualidade textural, que pode caber na gaveta infindável do pós-rock mas que não precisa de ser catalogado para ser apreciado. Possuir a edição limitada de 250 exemplares numerados com a magnifica embalagem mineral desenvolvida e produzida com o apoio do Museu de Olaria de Barcelos só torna a experiência ainda mais especial."
Bodyspace, 2012/05

A música dos La la la Ressonance é íntima, faz doer. Entra como crua e vai-se espalhando por todos os cantos do corpo de quem os ouve. «Gretchen’s Downfall» é símbolo disso e «What The Devil» vai mais longe. É potenciadora das paisagens sonoras e da ansiedade dos personagens de Murnau.
Rua de Baixo, 2012/05

"Faust é motivo para vos fazer perseguir alguém. Neste caso, os seus autores. A quem assistiu à apresentação do terceiro disco de La La La Ressonance, no Salão Nobre e Auditório da Câmara Municipal, pôde constatar a imensidão da película sonora construída junto com o bracarense The Astroboy."
Rock Rola em Barcelos, 2012/05/04

"Outdoor é simultaneamente belo e distante. Belo, porque se veste e reveste de arrojo estético e de gozo inesgotável. Distante, porque cada nova audição revela-nos mais um pouco desse belo, mas exibe-o como algo em constante ampliação, impossível de abraçar na totalidade. Um disco soberbo!"
Domínio dos Deuses, 2009/10/06

"O Bodyspace (…) aconselha positivamente a fusão de pós-rock, electrónica e música erudita para degustação continua."
Bodyspace, 2009/10/09

"São doze temas executados com uma graciosidade suprema que encontraram o seu próprio caminho por entre as deambulações de sons que vão para além de qualquer corrente já existente. Outdoor sobreviverá para além do tempo, para além das modas, para além da promoção de lançamento, é mais do que um disco, é um marco nas discotecas dos apreciadores de música. É um álbum que se movimenta com o mesmo à vontade no movimento pop, rock, clássico e nas sonoridades jazzísticas."
Jornal Hardmúsica, 2009/10/07

"La La La Ressonance é provavelmente é um dos projectos mais universais e independentes da música feita em Portugal. 'Outdoor' consagra a maturidade de uma banda com excelentes executantes e de grande versatilidade musical. Este novo disco sucede ao estreante 'Palisade' e não lhe fica nada atrás, assumindo um crescimento, evolução e ousadia natural no trajecto dos La La La Ressonance.
Para quem assistiu ao concerto de abertura do ciclo 'SONOPÓLIS' no Museu Nogueira da Silva promovido pela RUM, perante uma plateia esgotada, sabe que uma actuação desta banda de Barcelos é um acontecimento imperdível e intenso qb."
Rádio Universitária do Minho, 2009/09/29

"os Lllr mantêm a matriz post-rock e encaixam simultaneamente o formalismo, a abstracção e a ironia feitos de trechos/fragmentos de laconismo."
Theatro Circo – Braga, 2009/09/29

"As primeiras notas que ressaltam, dão a impressão de se estar perante um disco de "out jazz". Mas não. Suavemente se desvenda uma outra sonoridade, e depois outra, seguindo-se uma nova paisagem sonora que surpreende. Mas tudo isto se funde subtilmente em "Outdoor", e flui poderoso nas antecâmaras do pensamento"
Magnética Magazine, 2009/10

"MANIA DAS PERFEIÇÕES
Ninguém diria, mas os lllr são o que restou das cinzas dos tauf. Sim, aqueles que no final dos anos 90 lançaram o ep Iconolator para alegria de uns milhares de pessoas menos felizes com o estado da musica portuguesa de então.
Depois do regresso em 2006 com Palisade, os barcelenses voltam a baralhar as cartas e dar novo jogo. E Outdoor é mais um sucesso à escala da musica experimental portuguesa, ao fundir linguagens do rock matemático, do post-rock, do jazz e da musica erudita.
Outdoor é um caldeirão para o qual contribui a colaboração com o grupo de sopros Quad Quartet que assiste os La la la na construção de teias musicais complexas, donas de um rigor e coerência entusiasmantes.
É sempre refrescante ouvir a musica portuguesa caminhar nestes sentidos"
Blitz, Edição especial 25 anos

"Chama-se "Outdoor" e é a última maravilha dos La La La Ressonance."
A Trompa, 2009/11/24

 

 

 

LLLR | Biografia | Discografia | Membros | Concertos | Novidades | Press cuts | Áudio | Vídeo | Fotos | Merchandising | Contactos |